Vem com o vento

Sabe quando vem aquela vontade, de jogar todas as palavras, que estão frenéticas em você, pra fora?
Anda difícil, anda difícil acordar, difícil comer, difícil ter vontades Sinto falta das vontades, vontade louca de voar pro estante virtual, encontrar aquele livro que eu queria por cinco reais, comprar, esperar ele chegar sentadinha na janela, apaixonada no cheiro das páginas antes de senti-lo, e quando chega, ah quando chega, devorar no dia, viajar, querer mais daquela paixão, sinto falta. Falta da vontade de me arrumar; chamar alguém, ir a um restaurante, rir, me entupir de comida e reclamar depois, a falta de ar de satisfação.
Falta da emoção, viver no automático incomoda; querer fazer 10 coisas em um dia e fazer apenas duas, falta de esperar, de encontrar, de procurar, de me procurarem. Falta dos meus sonhos, quero dormir e voltar naquele jardim, aquele cheiro da noite, aquele cheiro do vento aquele cheiro de sonho!
Leva-me naquele jardim? Inventa um jardim pra mim? Só pra mim? Pra mais ninguém pisar, pra mais ninguém cuidar, cuidar de mim, eu cuido de você.
Vigia meu sono, me olha sorrir, se satisfaz.
Diz que meu cabelo tá engraçado, ri comigo, me segura pela cintura, me faz voar, me faz voar pra lua, me faz ver estrelas, senta comigo e vê as estrelas, sinta falta do meu cheiro de lírio, repara no jeito que eu ando, acha bonitinho, comenta comigo e traz aquela corzinha rosada pras minhas bochechas, como se enchessem de algum líquido de timidez, tão rápido, tão fácil.
Só exista
Só esteja ali, pra eu achar a cor dos seus olhos diferentes de todas as cores, de todos os olhos.
Só um abraço;
Só uma olhadinha marota;
Sonho hoje, amanhã não sonho, volta daqui um mês, e quando volta, tudo fica bem de novo; quando não volta hoje, não preciso nem me preocupar, sei que um dia volta, a certeza tá quietinha, mas, tá lá, não tem incerteza, não incomoda. Mas tem algo em hoje, que me faz precisar tanto, sonhar bonito Alguma coisa em hoje, acho que é esse ar, acho que é o outono. Quem sabe é a vontade voltando, trazendo algo com ela, dizendo olá, vindo com o vento.

Lilian Roel Murat.